Programa paroquial

sábado, 21 de outubro de 2017

«Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus»

22 de outubro de 2017 | 29º Domingo do Tempo Comum Ano A
Leituras | Comentário | Boletim



A liturgia do 29º Domingo do Tempo Comum convida-nos a reflectir acerca da forma como devemos equacionar a relação entre as realidades de Deus e as realidades do mundo. Diz-­‑nos que Deus é a nossa prioridade e que é a Ele que devemos subordinar toda a nossa existência; mas avisa-nos também que Deus nos convoca a um compromisso efectivo com a construção do mundo.
O Evangelho ensina que o homem, sem deixar de cumprir as suas obrigações com a comunidade em que está inserido, pertence a Deus e deve entregar toda a sua existência nas mãos de Deus. Tudo o resto deve ser relativizado, inclusive a submissão ao poder político.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Início da Catequese com apresentação e compromisso dos catequistas

 Foi no sábado dia 14 de outubro que na nossa paróquia, se deu início a mais um ano de atividades da Catequese.



Pelas 18 horas, as crianças e adolescentes foram acolhidas pelos catequistas nas salas.

Um pouco antes das 19 horas vieram juntos para a Igreja Paroquial onde tiveram uma participação especial na Missa, com o seu espaço próprio, responsabilizados e integrados na vida da Comunidade. 

Nessa mesma Celebração os catequistas foram apresentados à comunidade e fizeram o seu compromisso de educar na fé os grupos que lhes foram confiados.

sábado, 14 de outubro de 2017

«Convidai para as bodas todos os que encontrardes»

15 de outubro de 2017 | 28º Domingo do Tempo Comum Ano A
Leituras | Comentário | Boletim



A liturgia do 28º Domingo do Tempo Comum utiliza a imagem do “banquete” para descrever esse mundo de felicidade, de amor e de alegria sem fim que Deus quer oferecer a todos os seus filhos.
O Evangelho sugere que é preciso “agarrar” o convite de Deus. Os interesses e as conquistas deste mundo não podem distrair-nos dos desafios de Deus. A opção que fizemos no dia do nosso baptismo não é “conversa fiada”; mas é um compromisso sério, que deve ser vivido de forma coerente.

sábado, 30 de setembro de 2017

«Arrependeu-se e foi. Os publicanos e as mulheres de má vida irão adiante de vós para o reino de Deus»

01 de outubro de 2017 | 26º Domingo do Tempo Comum Ano A
Leituras | Comentário | Boletim



A liturgia do 26º Domingo do Tempo Comum deixa claro que Deus chama todos os homens e mulheres a empenhar-se na construção desse mundo novo de justiça e de paz que Deus sonhou e que quer propor a todos os homens. Diante da proposta de Deus, nós podemos assumir duas atitudes: ou dizer “sim” a Deus e colaborar com Ele, ou escolher caminhos de egoísmo, de comodismo, de isolamento e demitirmo-nos do compromisso que Deus nos pede. A Palavra de Deus exorta-nos a um compromisso sério e coerente com Deus – um compromisso que signifique um empenho real e exigente na construção de um mundo novo, de justiça, de fraternidade, de paz. O Evangelho diz como se concretiza o compromisso do crente com Deus… O “sim” que Deus nos pede não é uma declaração teórica de boas intenções, sem implicações práticas; mas é um compromisso firme, coerente, sério e exigente com o Reino, com os seus valores, com o seguimento de Jesus Cristo. O verdadeiro crente não é aquele que “dá boa impressão”, que finge respeitar as regras e que tem um comportamento irrepreensível do ponto de vista das convenções sociais; mas é aquele que cumpre na realidade da vida a vontade de Deus.

sábado, 16 de setembro de 2017

«Não te digo que perdoes até sete vezes, mas até setenta vezes sete»

17 de setembro de 2017 | 24º Domingo do Tempo Comum Ano A
Leituras | Comentário | Boletim



A Palavra de Deus que a liturgia do 24º Domingo do Tempo Comum nos propõe fala do perdão. Apresenta-nos um Deus que ama sem cálculos, sem limites e sem medida; e convida-nos a assumir uma atitude semelhante para com os irmãos que, dia a dia, caminham ao nosso lado.
O Evangelho fala-nos de um Deus cheio de bondade e de misericórdia que derrama sobre os seus filhos – de forma total, ilimitada e absoluta – o seu perdão. Os crentes são convidados a descobrir a lógica de Deus e a deixarem que a mesma lógica de perdão e de misericórdia sem limites e sem medida marque a sua relação com os irmãos.