Programa paroquial

sábado, 5 de julho de 2014

La famiglia è sempre il più importante!


Num período em que o nosso Bispo, D. António Marto, nos convida a apreciar "A beleza e a alegria de viver em família", o Agrupamento 1227 da Boa Vista propôs-se a criar um agrupamento mais coeso, mais alegre e mais forte, abrindo as portas às famílias dos seus elementos.

- De que forma podemos alcançar estes objetivos?
- Lançando desafios às pessoas e colocando-as a trabalhar em conjunto.
- Desafios?!? Mas isso não são as brincadeiras que vocês fazem com as crianças e os jovens durante todo o ano?
- Brincadeiras ? Então vocês acham que o Escutismo é só brincar sem nenhum propósito? Esperem lá que vocês já vão perceber os detalhes das "brincadeiras" que eles fazem...

O lançamento

No dia 7 de Dezembro de 2013 reunimos escuteiros, pais e irmãos e, após um enquadramento interpretado pelos Exploradores, lançámos o desafio: preparar uma atividade escutista.

- Preparar o quê ?!? Nós não percebemos nada disso!
- Podem não perceber muito, mas não se esqueçam que cada família tem pelo menos um especialista em casa. Aqui está uma boa oportunidade para os vossos filhos vos contarem os pormenores do que andam a fazer.
- Hummm, então e como é que isso vai funcionar?
- Para começar vamos agrupar os agregados familiares em 5 grandes Famílias: Flintstones, Addams, Dalton, Metralha e Smurfs.
- Então mas isso não são famílias dos desenhos animados?
- São pois, mas aí é que está a graça! Assim podem dar asas à imaginação...
- Então ficamos com 5 Famílias com cerca de 25 elementos... Como é que nos vamos entender?
- Vocês vão eleger um Patriarca e um Primogénito, à semelhança das equipas dos nossos escuteiros que têm um Guia e um Subguia.
- Então e depois?
- Depois têm de organizar para elaborarem um projeto para a atividade. Cada família cria um projeto e depois vamos eleger o melhor projeto e executá-lo.
- Projeto? Troquem lá isso por miúdos...
- Têm de criar uma história, que servirá de fio condutor da atividade; escolher um local para realizar a atividade; definir as atividades concretas que querem fazer; definir a ementa; fazer um orçamento; apresentar propostas de como iremos angariar fundos para a atividade; ...
- Ui... é só isso? Então e isso é para quando?
- É para apresentar os projetos no dia 15 de Fevereiro.
- Vai ser bonito... devem pensar que não tenho mais nada que fazer!

Os projetos
Ao fim de dois meses de trabalho, já se sentia a coesão dentro das Famílias e já havia um espírito de competição saudável.
As Famílias vestiram literalmente a pele dos seus personagens (Flintstones de amarelo com pintas pretas, Addams num registo mais mórbido, Dalton de lenços ao pescoço e chapéus de cowboys, Metralha de camisolas laranja numeradas e mascarilhas, e finalmente os Smurfs de camisola azul com barretes brancos) e apresentaram os seus projetos. Foi com grande satisfação que os dirigentes do agrupamento viram as suas expetativas superadas.
A votação foi renhida, mas só podia haver um vencedor. O projeto vencedor convidou-nos a ir até Ferreira do Zêzere.

- Então agora que temos projeto, os Chefes tratam do resto não é?
- Nem por isso...
- Mau... então mas o que é que falta fazer?
- Agora temos de executar o projeto. Ou seja, ver as condições do campo em Ferreira do Zêzere, preparar as atividades que vamos realizar, angariar fundos, saber que material é necessário e quem é que o leva, saber quantas pessoas vão, comprar a comida, ...
- Então e cada Família trata de uma coisa, ou como é?
- Não, agora vamos definir Comissões Técnicas que vão trabalhar em cada um das áreas: Logística, Intendência, Pedagogia, Comunicação e Tesouraria. Cada comissão técnica terá um elemento de cada Família.

A preparação
Foram diversas as angariações de fundos, começando com uma Festa de Carnaval, passando pela venda de flores à saída das igrejas da Boa Vista e Santa Eufémia e terminando com a venda de diversos artigos na festa em honra de Nossa Senhora das Dores.
Pelo caminho tivemos ainda uma atividade de "aquecimento" no Parque do Troncão (Colmeias), para as Famílias se irem preparando para os desafios que teriam de enfrentar na grande atividade final.
As várias Comissões Técnicas foram-se reunindo regularmente até ao dia da atividade. Os Patriarcas foram acompanhando os trabalhos das comissões técnicas e definindo qual o rumo a seguir. Houve momentos intensos e surgiram alguns problemas mas no dia da atividade tudo estava pronto.

A atividade final
No dia 28 de Junho, ainda mal passava das 8h30m e já a primeira Família chegava ao Centro de Atividades Escutistas de Ferreira do Zêzere (CAEFZ), local que serviu de base à nossa atividade. À medida que as Famílias iam chegando, procediam à montagem dos seus campos, com a montagem das tendas e dos pórticos. Que pórticos fantásticos que surgiram! Notou-se esforço e empenho por parte das Famílias e o resultado esteve à vista de todos.
Por volta das 11h fez-se a abertura do campo e iniciaram-se os jogos. Tal como nas atividades que os escuteiros fazem, o contacto com a natureza e a caminhada não podia faltar. Organizados por Família, cada uma tinha de se deslocar a 5 postos diferentes para realizar pequenos desafios. Enquanto alguns desafios eram relativamente fáceis, existiam outros mais difíceis que exigiam a definição de uma estratégia e um esforço conjunto dos elementos da Família.
Por volta das 13h45, houve um intervalo para reabastecimento. Depósitos cheios e as Famílias iniciaram a descida em direção à praia fluvial, onde um desafio aquático as aguardava. Uma vez que existia algum cansaço nas pernas, era tempo de dar aos braços e iniciar uma prova de canoagem. Utilizando as canoas, as Famílias tinham de recolher as mensagens que se encontravam em 4 pontos distintos da margem do rio. Enquanto uns iam buscar as mensagens, outros descodificavam-nas e resolviam os enigmas. Esgotado o tempo da prova, iniciou-se a subida pedestre até ao CAEFZ.
Apesar da existência de várias provas e desafios colocados nos vários postos, para muitos o maior desafio foi mesmo a caminhada. Foi nesta altura que foi posto à prova o espírito de equipa e de entreajuda. Nestas condições o desempenho da Família estava dependente do elemento mais fraco de cada uma delas, e por isso os restantes elementos tinham de fazer todos os possíveis para o ajudar. Prova superada!

Chegados ao CAEFZ, era hora de ir preparar o jantar, ou então não... Tal como definido, o jantar seria caldo verde e porco no espeto, que já aguardava pelas Famílias. Mas que bem que soube!
Passado que estava o dia, era tempo de celebrar e de desanuviar. Apesar de alguns elementos começarem a acusar algum cansaço, estava na hora de dar início à Festa Noturna. No escutismo há tempo para tudo, até para festejar ! Cantámos, dançámos e assistimos aos números apresentados por cada uma das Famílias. Mais uma vez, notou-se que houve empenho, e as Famílias superaram as expectativas dos Dirigentes com as apresentações que fizeram ! "Muito bem, muito bem, muuuuuuuiiiiiiito bem!"

No Domingo ficámos pelo CAEFZ. Houve gente que estranhou a cama, mas faz parte do escutismo :-) Iniciámos o dia com a oração da manhã, seguida do pequeno-almoço. De seguida demos início a uma espécie de jogos sem fronteiras, em que tivemos um pouco de tudo: desde corridas de cavalos, um intervalo para desfazer a barba, transporte de água à cabeça, entre outros.
Esgotada a energia do pequeno-almoço, estava na hora de dar início ao concurso gastronómico. Durante a preparação da atividade, foi lançado às Famílias o desafio de preparar um prato de bacalhau para o almoço de Domingo. Seria avaliado não só o sabor, mas também a apresentação. Esta era uma prova que exigia uma grande capacidade de organização, pois o tempo de execução era limitado. Nada que metesse medo às Famílias, que executaram os pratos sem qualquer problema. E o resultado? Algo nunca antes visto pelos participantes num acampamento. Os pratos eram dignos de um programa televisivo, não só pelo sabor mas também´ pela apresentação! A tarefa dos elementos do jurí ficou bastante complicada...
Apesar de vários pequenos questionarem "que jogos vamos fazer à tarde?" ou "vamos ter festa outra vez logo à noite?", estava na hora das arrumações. Campo praticamente arrumado e demos início à Missa de campo, em que dois Pioneiros fizeram a sua Promessa. Já são reincidentes, mas estão agora mais velhos, por isso o grau de exigência também é maior. Não se esqueçam: "as promessas são para cumprir"!

E foi assim que chegámos há hora da avaliação e ao encerramento da atividade. Esta foi a maior atividade de sempre a cargo do Agrupamento 1227, em que estiveram envolvidos mais de 120 participante. De destacar o empenho de todos os que participaram na atividade, que claramente se esforçaram para que as Família fizessem um excelente trabalho! Com a certeza que a atividade não terá agradado 100% a todos os participantes, esperamos que tenham ficado boas memórias e que os laços que se criaram e se fortaleceram perdurem durante muito tempo. Recordem: "La famiglia è sempre il più importante!"
Para os escuteiros fica a promessa de que para o ano haverá mais um grande ano escutista pela frente. Para os que ainda não são escuteiros, esperamos que o "bichinho do escutismo" vos tenha conseguido dar umas mordidelas :-)

FOTOS AQUI
 A Comissão Técnica de Comunicação e Imagem
Nota: os discursos apresentados não são 100% verídicos, mas não estarão muito longe da verdade :-)

Um comentário:

Silvia Duarte disse...

Foi um longo trabalho, mas valeu a pena! Parabéns.